Entenda por que as PMEs devem adotar um planejamento financeiro

planejamento financeiro para PME

Capital de giro, gestão de custos, fluxo de caixa: ao ler ou ouvir sobre esses assuntos, alguns empreendedores coçam a cabeça, outros até desconversam, já que se trata, para muitos, de pontos críticos da administração. Contudo, diversos problemas podem ser sanados com um bom planejamento financeiro para PME.

Uma consulta ao relatório do Sebrae de 2016 revela que a segunda maior dificuldade de empresas em seu primeiro ano de vida é a falta de capital. E isso se deve a um planejamento ineficiente, que prejudica todo o processo.

Entenda, neste post, por que é importante planejar o controlar todos os aspectos financeiros de sua pequena ou média empresa e evite quaisquer prejuízos. Acompanhe!

Planejar significa prevenir problemas financeiros

Por mais que o lucro seja a mola propulsora em qualquer empreendimento, não se pode jamais ignorar que manter-se em atividade exige custos.

As finanças em uma empresa de pequeno ou médio porte precisam ser muito bem planejadas, já que a margem de manobra é menor em caso de imprevistos que gerem despesas extras.

Empresas grandes não abrem mão do planejamento financeiro e não dão um passo sem antes saber quanto, como e quando vão gastar seus recursos.

Portanto, o começo de um planejamento financeiro eficaz tem tudo a ver com saber exatamente o quanto se ganha e o quanto se gasta por período, que pode ser dividido em meses, semanas ou mesmo dias. Quanto mais precisas forem as informações e o controle que se tem sobre elas, melhor para lidar com possíveis problemas financeiros.

Conhecer o fluxo de caixa é ter domínio do negócio

Ter um bom fluxo de caixa é imprescindível. Na maioria das empresas, a entrada e saída de dinheiro é diária e ininterrupta. Seja recebendo ou fazendo pagamentos, a atividade financeira é a que mais exige atenção dos donos de negócios. Mas, por incrível que pareça, há quem trate o assunto sem se importar muito com as consequências da falta de controle.

Por exemplo, há empreendedores que não tentam prever e planejar e, com o funcionamento, não sabem o quanto custa para manter suas empresas em atividade. Esse é um erro grave, pois as boas práticas recomendam que os custos sejam conhecidos nos mínimos detalhes.

Falta de planejamento financeiro para PME prejudica a gestão do capital de giro

Para que haja lucro, é fundamental conhecer os custos fixos e variáveis para, a partir daí, saber o quanto se pode investir em ações visando a conquista de novos clientes.

Não é raro que empreendedores, por falta de controle financeiro, recorram a empréstimos bancários e antecipem recebíveis apenas para compor capital de giro.

Quando lançam mão desses recursos, estão arriscando perigosamente a saúde financeira da empresa, já que instituições emprestam dinheiro ou antecipam recebíveis mediante a cobrança de juros, em geral com taxas de juros muito altas.

Não é difícil concluir que, com o tempo, tal prática se revela desastrosa e leva uma empresa ao encerramento de suas atividades, se nada for feito para sanar as finanças.

Consultoria é uma solução para quem precisa de apoio

Empreendedores que têm dificuldades em encontrar tempo para se debruçar sobre as finanças de seus negócios têm na consultoria o apoio profissional adequado.

Além da consultoria, o outsourcing (terceirização) é uma forma de garantir o controle e o planejamento financeiro para PME, de forma a manter a saúde das finanças e o fluxo de caixa sempre equilibrado.

Felizmente, como vimos, as tarefas de planejar o fluxo de caixa, gerenciar o capital de giro e outras que dizem respeito ao planejamento financeiro podem ser bastante facilitadas. Para isso, basta entender a dinâmica do processo e usar a ferramenta certa.

O que achou sobre nosso post acerca da importância do planejamento financeiro para PME? Se você se interessou pelo tema e quer se aprofundar no assunto, aproveite para ler nosso artigo sobre contabilidade gerencial!

Sobre o autor

Josinei Soares

Diretor Executivo na Cont360. É pós-graduado em Controladoria pela FIA/USP, com Bacharel em Administração de Empresas e Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi, Contabilista e membro do Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo.

Deixar um comentário

3 × dois =