Aprenda a fazer um fluxo de caixa eficiente com estas 5 dicas

A eficiência do fluxo de caixa está diretamente ligada à gestão das finanças. Mas será que você sabe como fazer isso corretamente?

Neste post você vai aprender como fazer um fluxo de caixa eficiente e também a turbinar suas finanças utilizando essa ferramenta como diferencial competitivo para o seu negócio. Confira!

1. Identifique o saldo inicial e os elementos do caixa

A primeira dica para fazer um fluxo de caixa eficiente é identificar corretamente seu saldo atual.

Além da disponibilidade financeira, o fluxo de caixa deve apresentar ainda dois elementos: os valores nas contas-correntes e as aplicações de curto prazo, denominadas “equivalentes de caixa”.

É importante verificar também as receitas de comercialização de produtos e serviços e as despesas ligadas ao pagamento de salários, impostos etc. Depois da comparação, será obtido o fluxo de caixa do período.

2. Determine o período para início e lançamento

O próximo passo é fazer um fluxo de caixa. Para isso, deve-se determinar uma data de corte, a partir da qual serão calculados os saldos iniciais de caixa e equivalentes. Além disso, nesta etapa será possível checar a movimentação de entrada e saída, que será registrada em softwares de gestão financeira.

3. Registre a movimentação do caixa

Outra dica poderosa é o registro cuidadoso de toda a movimentação financeira da empresa. Esse registro abrange mesmo aqueles valores que pareçam, de forma isolada, insignificantes, já que no final do período eles poderão ter um impacto significativo no seu fluxo de caixa.

Ao fazer um fluxo de caixa é importante inserir também informações detalhadas e atualizadas (de preferência, diariamente) para que o documento seja consultado em caso de dúvidas.

Esse registro também mostra a disponibilidade financeira da empresa e representa o que ela pode investir ou pagar de lucros aos sócios, caso a empresa tenha apurado anteriormente na contabilidade gerencial.

4. Crie categorias para fazer um fluxo de caixa

Criar categorias faz parte da análise gerencial e é uma dica valiosa para a gestão da empresa. E isso vale tanto para receitas quanto para despesas. No caso das entradas, é possível identificar os principais clientes, o valor do ticket médio e os principais produtos e serviços da organização. No caso das despesas, as categorias ajudam a entender como estão os gastos da organização, acompanhar sua evolução histórica e ainda fazer projeções para o futuro.

Se for do interesse da gestão, podem ser tomadas decisões para diminuir, substituir ou cortar gastos que estejam prejudicando o financeiro da empresa.

5. Planeje e gerencie o estoque

Outra dica é aliar o fluxo de caixa ao gerenciamento de estoque. Ao fazer um fluxo de caixa, é possível conhecer o comportamento de vendas da empresa, o que também auxilia no gerenciamento eficiente da reserva de produtos.

Dessa forma, os gestores poderão identificar quais são as mercadorias que apresentam maior e menor saída, evitando que fiquem paradas ou que faltem para distribuição. Além disso, desenvolver uma política de compras e listar fornecedores, procurando melhores preços, prazos e condições de pagamento, é uma excelente forma de controlar as finanças.

Agora você já sabe que fazer um fluxo de caixa é fundamental para gerenciar as finanças da empresa e ter controle sobre mercadorias e desempenho. Que tal compartilhar esse conteúdo nas redes sociais para que mais empreendedores possam conhecer esta estratégia?

Sobre o autor

Josinei Soares

Diretor Executivo na Cont360. É pós-graduado em Controladoria pela FIA/USP, com Bacharel em Administração de Empresas e Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi, Contabilista e membro do Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo.

Deixar um comentário

5 × 5 =